NAVEGAÇÃO VISUAL E ESTIMADA – MÉTODOS DE NAVEGAÇÃO / A TERRA E A NAVEGAÇÃO AÉREA – AULA 1

Navegação Aérea Visual e Estimada é uma matéria que exige estudo profundo e constante por parte do aluno. Além de possuir diversos tópicos que infelizmente precisam ser decorados, a navegação também traz na bagagem muitos cálculos matemáticos que, embora simples, demandam prática. Boa aula!

Música para a aula: 

OS MÉTODOS DE NAVEGAÇÃO

  • NAVEGAÇÃO VISUAL OU POR CONTATO: É o método de navegação mais simples. Consiste no constante contato visual do piloto com o terreno que, através de pontos de referência na superfície, faz a sua navegação.
  • NAVEGAÇÃO ESTIMADA: Nesse método o piloto realiza cálculos específicos para determinas os estimados em cada um dos pontos de referência (Waypoints) da rota. Para esse tipo de navegação, têm-se como instrumentos básicos: a bússola de navegação, o velocímetro, uma carta aérea da região onde pretende-se voar e um relógio.
  • NAVEGAÇÃO ELETRÔNICA: A posição da aeronave é calculada através de equipamentos eletrônicos capazes de determinar a sua localização de forma rápida e precisa. Esse método de navegação é muito empregado em aeronaves com alta tecnologia embarcada, não sendo utilizado na aviação geral, sendo assim, não convêm aprofundar esse assunto no curso de Piloto Privado.
  • NAVEGAÇÃO CELESTIAL: Método antigo para caral**, onde o navegador se localiza por meio dos astros utilizando um equipamento chamado “sextante”. Não precisa saber mais que isso.
  • RADIONAVEGAÇÃO: Equipamentos instalados na aeronave captam ondas de rádio transmitidas por estações em terra e, através da interpretação desses instrumentos, determina-se a posição da aeronave. É um método extremamente difundido hoje em dia, e que será visto com mais detalhamento no curso de Piloto Comercial/IFR. No curso de Piloto Privado, já bastam explicações sobre os aspectos básicos dos principais instrumentos de radionavegação, como o VOR e o ADF.
  • NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE: O GPS (Global Positioning System) que comanda a parada. Ele determina com facilidade e precisão a posição geográfica da aeronave. O fato de ser um equipamento de uso descomplicado, de baixo custo e por possuir boa precisão tem feito o GPS cada vez mais presente na aviação.

A TERRA E A NAVEGAÇÃO AÉREA 

A terra não é redonda.
– Hãn? – Galileu se revirou no túmulo agora. Mas é a verdade. Embora Galileu estivesse absolutamente correto quando defendeu que a terra não era quadrada, muito menos plana (e ainda foi perseguido pelo clero por tamanhos “absurdos”), a terra não é redonda, mas ela está muito perto disso. O fato é que nosso planeta possui um pequeno achatamento nos pólos, não sendo exatamente uma esfera perfeita.  Ou seja, a terra é quase redonda. 

CÍRCULO MÁXIMO

Ao se dividir uma esfera em 2 parte idênticas por um plano, este plano, passando pelo centro da esfera, forma o chamado círculo máximo. São exemplos de círculo máximo: o meridiano de Greenwich, a linha do equador, e qualquer outro plano que passe pelo centro da terra.

CÍRCULO MENOR

A esfera é dividida em duas partes desiguais por um plano que não passa pelo centro da terra. São exemplos de círculos menores: os paralelos e os trópicos.

MOVIMENTOS DA TERRA

ROTAÇÃO A terra gira em torno de seu próprio eixo imaginário. Tal eixo possui uma inclinação de 23,5º, essa inclinação é a responsável pela diferenciação das estações do ano entre o Hemisfério Sul e o Hemisfério Norte.
O movimento de rotação tem duração de 24hrs, sendo realizado em sentido anti-horário. Esse movimento também é o responsável pelos dias e noites.

TRANSLAÇÃO – É o movimento da terra ao redor do sol. Esse movimento tem a duração de aproximadamente 365 dias (366 em anos bissextos), o equivalente a um ano (jura?), e é o responsável pelas estações.

MERIDIANOS

Um meridiano é uma semi-circunferência (180º) de um círculo máximo, sendo limitado pelos pólos. Todo meridiano indica o Norte/Sul verdadeiros, e todos eles cruzam perpendicularmente (num ângulo de 90º) a Linha do Equador. Os meridianos variam de 0º a 180º para Oeste (O ou W) ou Leste (L ou E) a partir do Meridiano de Greenwich. 

MERIDIANO DE GREENWICH – É o meridiano que passa sobre a cidade de Greenwich na Inglaterra.
Por convenção, o Meridiano de Greenwich divide o globo terrestre em Ocidente e Oriente, permitindo, assim, medir a Longitude. O Meridiano Zulu (como também é conhecido) também determina a Hora Universal Coordenada (UTC), ou seja, o horário de Greenwich é o horário universal da aviação, isso será visto com maior profundidade mais adiante.

MERIDIANO 180º ou LINHA INTERNACIONAL DE DATA – É o anti-meridiano (oposto em 180º) do Meridiano de Greenwich, e marca o ponto no qual ocorre a mudança de data. Ou seja, ao atravessá-lo, muda-se o dia. A Leste, é um dia a menos do que a Oeste dessa linha localizada no Oceano Pacífico.

PARALELOS

Um paralelo é todo círculo menor paralelo a Linha do Equador. Os paralelos variam de 0º a 90º para Norte (N) ou Sul (S) a partir da Linha do Equador. 

LINHA DO EQUADOR – É o nome dado à linha imaginária que constitui um círculo máximo que atravessa a terra perpendicularmente ao eixo de rotação da terra. A Linha do Equador possuí como principal finalidade a divisão da terra em Hemisfério Sul e Hemisfério Norte.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s